quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Ai de quem ama

Quanta tristeza
Há nesta vida
Só incerteza
Só despedida

Amar é triste
O que é que existe?
O amor

Ama, canta
Sofre tanta
Tanta saudade
Do seu carinho
Quanta saudade

Amar sozinho
Ai de quem ama
Vive dizendo
Adeus, adeus

Vinícius de Moraes

5 comentários:

Juci Barros disse...

Sábio Vinícios...
Beijos.

Maria disse...

Excelente escolha, um lindo poema, um cantinho maravilhoso.
Tenha um Domingo maravilhoso
Bjs do tamanho do infinito
Maria

F@bio Roch@ disse...

...o mais romatico dos modernistas, e um dos mestres na arte de amar...É amiga, o amor é assim mesmo, "[...} posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure".
E o Drummond abaixo, é o melhor!!

BELÍSSIMA SEMANA POÉTICA P VC...

jefhcardoso disse...

Amar dá trabalho e muitas vezes, causa dor, porém é recompensado com amor.

Quero aproveitar e lhe convidar para ler “O Candidato” no meu http://jefhcardoso.blogspot.com
Será um prazer lhe receber.

“Para o legítimo sonhador não há sonho frustrado, mas sim sonho em curso” (Jefhcardoso)

José María Souza Costa disse...

Eu vim ler o seu blog. Visitar e lhe convidar a seguirmos por eles.
ficarei grato. Abrass
e sigamos por aqui
http://josemariacostaescreveu.blogspot.com